quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

A Importância da Leitura Partilhada em Faro

Há exatamente uma semana rumei a Faro a convite da Prof. Dra Maria Helena Horta, diretora do curso de Mestrado em Educação Pré-Escolar da Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve, para falar acerca d' "A Importância da Leitura Partilhada na Infância", uma atividade integrada no ciclo de palestras "Vamos conversar sobre as (nossas) crianças", que a Biblioteca Municipal de Faro organiza em parceria com a direção do mestrado supracitado.
 
com a diretora da Biblioteca Municipal de Faro, Dra Sandra Martins
Foi com muito entusiasmo que regressei à Biblioteca António Ramos Rosa. Em 2013 havia lá dinamizado um dia de formação Cata Livros no âmbito do II Encontro Partilhar Leituras, por isso já conhecia o excelente trabalho que fazem com tantos projetos em prol da comunidade. Este ciclo de palestras é apenas um dos exemplos.
 
 
Num auditório quase cheio, com apoio teórico, mas, sobretudo, com muitos exemplos concretos de boas leituras, conversámos acerca do que significa "ler para" e "ler com", dos benefícios a nível afetivo, cognitivo, linguístico, social, cultural e criativo da leitura partilhada, do papel fundamental do adulto mediador, bem como da necessária constância, variedade e qualidade dos estímulos precoces, em casa e na escola, para o desenvolvimento global da criança. Levei uma mala cheia de livros e um PowerPoint repleto de pistas. Claro que não houve tempo para falar de tudo. Poderíamos ter ficado o serão inteiro à conversa e este assunto não se esgotaria. Porém, creio que o essencial ficou bem claro para todas as participantes, e bem provado pelas intervenções deliciosas do único representante do sexo masculino presente, um menino de 7 anos que acompanhou a mãe. O Santiago mostrou-nos, de forma espontânea e natural, o que significa ser leitor. Um leitor habituado a ouvir histórias / a ler desde pequenino. Maravilhou-se, entusiasmou-se, interpelou os textos e as ilustrações, fez inferências, corrigiu hipóteses, manifestou curiosidade e surpresa, constatou suposições, em suma, dialogou constantemente com os livros e com quem lia com ele.
 
 
Os livros que levei comigo foram cuidadosamente selecionados para atender às necessidades e interesses da maior parte das participantes, quase todas (futuras) profissionais ligadas à educação. Espero que num momento fulcral da sua formação, esta palestra tenha sido útil e as inspire a incorporar (se ainda não o fazem) a leitura partilhada no seu quotidiano. Agradeço de coração o convite e a oportunidade de reflexão à Prof. Dra. Maria Helena Horta, assim como à Dra Sandra Martins e à Dra Fátima Monteiro Bento, pela organização e receção sempre tão calorosas!
 

Sem comentários:

Publicar um comentário