segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

As Guardas: Guardiãs de Tesouros

Começam amanhã as Conversas Pequenas para Pais (e familiares interessados)! Quero receber estes dois grupos de pais que se juntarão a mim para falarmos de literatura infantil, maturidade leitora, leitura partilhada, e muito mais, com um presente: uma nova rubrica aqui no Pequeno Armazém de Palavras.
As protagonistas serão as guardas, as folhas iniciais e finais que unem a capa ao miolo do livro. Verdadeiras guardiãs de tesouros, merecem realmente um olhar atento, como afirma a Isabel Minhós Martins, neste magnífico texto, de que reproduzo uma parte:

" Podem ter padrões que se repetem, detalhes das imagens do interior ou ilustrações feitas à sua medida.(...)Podem servir para aproveitar o livro até à última gota ou apenas para o deixar respirar: no início, para ganhar fôlego; no fim, para recuperar da corrida das páginas.
Quando tal acontece, quando as guardas têm direito a vida própria, podem ultrapassar as suas funções de ordem mais prática ou funcional, e tornar-se importantes espaços de comunicação.
Por se colocarem "à entrada" e "à saída" do livro, servem de antecâmara para o que se vai passar, e de remate, no final. Mas, muitas vezes, acabam por funcionar como um suporte paralelo, quase à parte, um espaço livre e aberto à imaginação de ilustradores e designers."

É este espaço livre e aberto à imaginação dos leitores que quero agora celebrar. Quando trabalhava numa biblioteca municipal, dediquei-lhes uma exposição. Aqui, a partir de hoje, deixarei todas as semanas uma ou duas imagens das guardas iniciais e finais de um livro. Num silêncio atento e deslumbrado. 
 
 
 
Pê de Pai
Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho (ilustrador)
Planeta Tangerina, 2006
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário