sexta-feira, 28 de abril de 2017

Mediando a Leitura e a Escrita

Sou mediadora de leitura e de escrita,  ponte entre os livros / os textos e as pessoas.  Faço-o numa pequena cidade do litoral alentejano, embora viaje também para onde julgam ser necessário o meu trabalho. 
Dirijo-me aos leitores de todas as idades. E aos seus mediadores. Um dos objetivos do meu trabalho é, por isso, pensar a mediação leitora como um todo. Assim, todos os projetos continuados que desenvolvo são comunicantes, alicerçam-se reciprocamente e crescem em conjunto.
 
As GRANDES HISTÓRIAS PARA PEQUENOS LEITORES, um projeto para pré-leitores que dinamizo quinzenalmente há cinco anos consecutivos num Jardim-de-Infância privado da minha cidade, incluem, desde o primeiro momento. a vertente de formação para famílias / docentes, inicialmente através da Palestra acerca da Importância da Leitura para o Desenvolvimento Emocional, Cognitivo e Criativo da Criança, e, posteriormente, por meio dos encontros mensais CONVERSAS PEQUENAS PARA PAIS E PROFISSIONAIS, em redor da leitura e da sua promoção. A prática nunca é desligada da reflexão e da investigação, antes actuam as três como estímulo e nutrimento. São elos indissociáveis nesse ciclo permanentemente renovado que é o trabalho em torno da promoção da leitura, em cada nova sessão com as crianças, enriquecendo cada novo encontro com os mediadores, sejam eles familiares ou docentes.
 
Da constatação de que a maturação leitora é um percurso semelhante a uma escadaria, em que cada degrau é essencial para a passagem às etapas subsequentes, até à autonomia leitora, nasceram dois projetos continuados de que já falei um pouco aqui no blogue. São eles o LABORATÓRIO DE LEITORES LIVRES (para crianças a frequentar o 1º e 2º anos do 1º CEB) e a OFICINA DE LEITURA E ESCRITA. Este último, pensado como espaço de criatividade, pensamento e crescimento, visa a promoção e desenvolvimento das competências de leitura e escrita para crianças e jovens do 3º ao 9º ano de escolaridade. Encarar a leitura e a escrita como um prazer, mas, sobretudo, como uma forma de sermos plenamente nós, com horizontes muito mais alargados, é o principal objetivo da oficina. Partindo sempre de textos de autores portugueses e estrangeiros, criteriosamente selecionados e adequados à maturidade leitora de cada grupo, criamos textos individuais, partilhando-os, discutindo-os. A leitura em voz alta, o questionamento, o diálogo e a reflexão crítica sobre o processo de escrita são constantes. A leitura leva à escrita e vice-versa, num ciclo harmonioso e frutífero. As Oficinas acontecem semanalmente e estão pensadas como um todo articulado, de análise e progressão. Todas as semanas, cada aluno pode escolher para ler em casa um livro de entre os muitos disponíveis na biblioteca do projeto.
Por último, não posso deixar de referir as Quartas com Letras, comunidade de leitores que dinamizo no litoral alentejano e que permanentemente renova e amplia a minha capacidade de ler e de contruir sentido.

Nenhum destes projetos é estanque. Cada um deles influencia os restantes, ensinando-me a encontrar novas ligações, novos significados, a ler melhor os livros, as pessoas e o mundo. Entendo a formação de leitores e de mediadores como um processo infinito, fluído, profundo e abrangente, que envolve vários intervenientes e diferentes contextos. Por isso, é para mim sempre um privilégio quando sou desafiada a reflectir com outros leitores e mediadores acerca do meu trabalho em redor dos livros. Nos últimos seis meses, tive ocasião de o fazer nas IV Jornadas Biblioteconómicas de Abrantes, com a oficina "Cultivar Leitores na Era Digital", na Biblioteca Municipal de Faro, a propósito da "Importância da Leitura Partilhada na Infância",  nas II Jornadas da RBE de Lamego, através da oficina "Contar de Livro na Mão" e no IV Encontro "Para além de princesas e dragões", em Albergaria-a-Velha, com a comunicação "A Leitura como Construção de Liberdade". Todas elas foram grandes oportunidades de análise, avaliação e melhoria do meu trabalho enquanto mediadora de leitura e de escrita, pelas quais estou profundamente grata.

Sem comentários:

Publicar um comentário